top of page

Tardes Debaixo Do Cajueiro

A tarde de segunda-feira sob o cajueiro era minha hora favorita da semana, nem mesmo me intimidando com a intensidade do sol quente do Brasil. Dez alunos e eu nos reunimos em torno de uma mesa à sombra para aprender histórias da Bíblia. Nosso professor era o Espírito Santo, e estávamos ali para aprendermos juntos.

Começamos com a história de como Deus criou o mundo e continuamos a trabalhar na Bíblia usando um método chamado “História Bíblica Cronológica”. A cada semana, um dos alunos ensinava uma história bíblica à turma — sobre Abraão, Davi ou Jesus andando sobre as águas ou curando o cego — e desafiava todos na classe a aprender a história e contá-la a pelo menos três pessoas durante a semana. . A princípio, aprender as histórias da Bíblia foi muito difícil para eles; eles lutaram para lembrar os detalhes da história e para compartilhar a história com fluidez com outras pessoas. Ainda me lembro de uma semana em que os alunos não contaram sua história e tivemos que repetir a história da desobediência de Adão e Eva (Gn 3). No entanto, os alunos estavam determinados a melhorar e nunca mais tivemos que repetir uma história bíblica. Com o passar das semanas, começamos a ter discussões cada vez mais profundas sobre as verdades que aprendemos.


O que tornou esse tempo debaixo do cajueiro tão especial foi como pude ver o Espírito Santo trabalhar na vida de cada um de nós. Ele começou a transformar esse professor inseguro em um ouvinte confiante de Sua voz e transformou esses alunos de ouvintes cautelosos em professores vibrantes. Ele começou a transformá-los de participantes hesitantes em ativistas motivados para nossa classe. Acima de tudo, Ele começou a transformá-los por Sua verdade nas profundezas de seus corações, colocando neles uma fome por Sua Palavra e o fardo de compartilhá-la com os outros.


Uma das minhas maiores alegrias foi ver Joyce, uma das minhas alunas, florescer como uma apaixonada testemunha de Jesus. No final do semestre, desafiei os alunos a orar e perguntar ao Senhor o que Ele queria que fizessem durante o intervalo. Joyce insistiu veementemente que não queria “perder tempo”, mas queria compartilhar as histórias bíblicas que aprendera com os jovens de sua comunidade. Ela certamente não perdeu tempo, mas ensinou-lhes oito histórias da Bíblia. Eles até apresentaram um drama da história da desobediência de Adão e Eva (a mesma história que tínhamos que repetir em sala de aula). A melhor parte foi que todos os jovens com quem ela trabalhou aceitaram Jesus. Fiel ao seu nome, Joyce estava borbulhando de alegria ao voltar e mal podia esperar para contar o que Jesus havia feito.


O Senhor usa as coisas simples para confundir os sábios e cumprir Seus propósitos. O Senhor teve o prazer de usar a simplicidade das histórias bíblicas debaixo de um cajueiro para nos transformar pelo poder do Seu Espírito e para a glória do Seu nome.


“Minha mensagem e minha pregação não consistiam em palavras sábias e persuasivas, mas em demonstração do poder do Espírito, para que a fé de vocês não se baseasse na sabedoria humana, mas no poder de Deus.” 1 Coríntios 2:4-5

Comentários


bottom of page